Época vence segunda seletiva do King of the Kings-2016. Estadão dispara no Troféu Boimate.

A insinuação de um colunista de que o New York Times recebe dinheiro do PT para afirmar que o golpe no Brasil foi golpe levou a Época à vitória na segunda seletiva do Troféu King of the Kings, edição 2016. O KofK é o único prêmio aos indômitos coleguinhas que trabalham com determinação visando a total esculhambação do jornalismo no Brasil. O Troféu Boimate, que premia o veículo com o maior número de cascatas escolhidas para disputar o KofK, está sendo liderada com folga pela redação do Estado de São Paulo, com seis escolhas, bem à frente das segundas colocadas, a própria Época e a Rede Globo (é sempre bom lembrar que, nesta disputa, a Veja é “hours concours”).

Conheçam as cascatas classificadas para a final, que será disputada em janeiro de 2017 (as concorrentes não classificadas voltarão na terceira seletiva).

  1.  Colunista da Época insinua que New York Times recebe dinheiro do PT  (32 votos, 15%).
  2.  Estado de São Paulo acusa jornalistas estrangeiros de serem petistas (25/12%).
  3.  Veja glorifica primeira-dama golpista como “bela, recatada e do lar” (22/11%).
  4.  Estado de São Paulo denuncia banquete de Lula no restaurante da Tia Zélia (21/10%).
  5.  Estado de São Paulo faz denúncia contra Lula, mas o inocenta (18/9%).
  6.  Rede Globo e Agência Lupa acusam erro de dados sobre microcefalia do Ministério da Saúde e são desmentidas por ministro e blogueiro cientista (17/8%).
  7.  Época denuncia professor francês muçulmano como terrorista mesmo ele tendo sido inocentado na França (12/6%).

Total de votos: 207

Já a colocação no Troféu Boimate ficou assim:

  1. Estado de São Paulo – 6
  2. Rede Globo e Época – 2
  3. Istoé, Zero Hora e Agência Lupa – 1

 

Veja vence primeira seletiva do King of the Kings-2016; Estadão lidera Troféu Boimate

Neste momento de transe da nacionalidade, eis que chegamos ao resultado da primeira seletiva do King of the Kings, único prêmio do país a reconhecer os jornalistas que, dia a dia, de sol a sol, empregam todo o seu esforço em prol de avacalhar a própria profissão. São sete os classificados nesta seletiva para a final de janeiro de 2017 – as outras sete cascatas compõem, desde já, a lista da segunda seletiva. A vencedora foi a cascata “Veja anuncia que Lula vai pedir asilo na Itália e é desmentida pela embaixada do país”, com 97 votos, 13% do total de 720 sufrágios.

Além do Kofk para as cascatas individuais, há ainda o Troféu Boimate para o veículo mais cascateiro – pelo regulamento, a Veja está excluída por ser “hors concurs”, assim, ela não é contada mesmo tendo vencido a seletiva individual. Neste prêmio, o Estado de São Paulo disparou, com três cascatas.
Dito isto, vamos às listas:

King of the Kings (classificadas na primeira seletiva):

1. Veja anuncia que Lula vai pedir asilo na Itália e é desmentida pela embaixada do país – 97 votos (13%). Autoria: desconhecida.

2. Istoé afirma que presidenta está a um passo da loucura – 88 (12%). Autoria: Sérgio Pardellas e Débora Bergamasco.

3. Rede Globo divulga grampo realizado ilegalmente a mando de Sérgio Moro envolvendo a presidente da República – 85 (12%). Autoria: William Bonner.

4. Estado de São Paulo divulga lista de apoio a Sérgio Moro com nome de 500 juízes federais, mas assinaturas eram apenas 200, nem todas de juízes federais e algumas nem eram juízes – 78 (11%). Autoria: Fausto Macedo e Julia Affonso.

5. Estado de São Paulo publica como afirmação de Lula o que era uma corrente no What´s up – 65 (9%). Autoria: Vera Rosa e Adriano Ceolin.

6. Zero Hora troca FHC por Lula em charge sobre os R$ 100 milhões em propinas – 64 (9%). Autoria: Marco Aurélio.

7. Estado de São Paulo acusa Lula mencionando relatório da PF que não fala do ex-presidente – 53 (7%). Autoria: Ricardo Brandt, Andreza Matais, Fausto Macedo e Julia Affonso.

Troféu Boimate (colocação após a primeira seletiva *):

1. Estado de São Paulo: 3
2. Zero Hora, Rede Globo e IstoÉ – 1

* Pelo regulamento do prêmio, a Veja é “hours concours”

Começa a nona edição do King of the Kings!

Há semanas estou para realizar a primeira seletiva do King of the Kings-2016, mas fiquei sempre esperando a próxima cascata e… bem, elas estão vindo em tal profusão que não consigo acompanhar. Solicitei ajuda a dois amigos, mas eles também estão na batalha contra o golpe (na qual dou minha colaboração na linha TL particular do FB) e não puderam vir em meu auxílio. Assim, vou pôr em votação o que eu mesmo consegui coletar. Se você quiser me dar uma mão, envie sua colaboração para coleguinhas@protonmail.com, um e-mail de alta segurança (www.protonmail.com), encriptado usuário-a-usuário (end-to-end), que só será lido por mim (de fato, eu recomendo fortemente que você assine o protonmail, que é grátis).

O King ogf the Kings existe para reconhecer os esforços dos coleguinhas que trabalham duro para esculhambar o jornalismo brasileiro. Desde o ano passado, ele é acompanhado pelo Troféu Boimate, que premia a publicação que mais trabalhou para desmoralizar o próprio negócio. Para quem quiser sabe a origem do King of the Kings, clique aqui. Já a história do “boimate” é muito conhecida, mas se você a desconhece, clique aqui .

Ainda antes da lista, vamos às regras:

1. Você pode votar em até sete (7) concorrentes entre as 14 da lista.

2. Você ainda terá uma nova chance de votar nas sete não classificadas, pois elas voltarão para as outras seletivas (esta é uma mudança importante em relação ao ano passado, quando as não classificadas voltavam apenas na seletiva seguinte. No entanto, como a quantidade de cascatas é imensa e todas da alto/baixo nível, achei melhor estarem todas visíveis para uma melhor comparação dos eleitores).

3. A votação terminará na terça-feira, dia 12, pois estarei em viagem de férias a partir desta terça e não terei como anunciar o resultado domingo, como de praxe.

Agora sim, vamos as concorrentes:

1. Época denuncia professor francês muçulmano como terrorista mesmo ele tendo sido inocentado na França.

2.  Folha diz que Lula mandou nomear diretor da Petrobras, mas esquece que dizer que esquema na petroleira movimentara R$ 100 milhões durante governo FHC.

3. Zero Hora troca FHC por Lula em charge sobre os R$ 100 milhões em propinas.

4. Veja acusa falsamente mulher de estar envolvida na Lava-Jato.

5. Estado de São Paulo acusa Lula mencionando relatório da PF que não fala do ex-presidente.

6. Colunista do Globo ataca Lula em twitter publicado pela manhã e só se retrata de madrugada.

7. Rede Globo e Agência Lupa acusam erro de dados sobre microcefalia do Ministério da Saúde e são desmentidas por ministro e blogueiro cientista.

8. Estado de São Paulo publica como afirmação de Lula o que era uma corrente no What´s up.

9. Valor Econômico depõe a presidenta.

10. Rede Globo divulga grampo realizado ilegalmente a mando de Sérgio Moro envolvendo a presidente da República.

11. Estado de São Paulo divulga lista de apoio a Sérgio Moro com nome de 500 juízes federais, mas assinaturas eram apenas 200, nem todas de juízes federais e algumas nem eram juízes.

12. Estado de São Paulo divulga dados falsos sobre bloqueio de dinheiro por autoridades suíças, é desmentido pelo Advogado Geral do país e manipula o desmentido.

13. Veja anuncia que Lula vai pedir asilo na Itália e é desmentida pela embaixada do país.

14. Istoé afirma que presidenta está a um passo da loucura.

S.O.S.: o King of the Kings pede ajuda

Em quase 20 anos de Coleguinhas, sempre fui auxiliado, ocasionalmente, por alguns amigos e amigas, os Conselheiros. Davam (e dão) toques, mandavam (e mandam) colaborações, discutiam (e discutem) temas… No entanto, sempre foi coisa esporádica e, no fim das contas, eu sempre dei conta do recado sozinho sem grandes problemas. Agora, porém, a situação mudou, pelo menos em relação ao King of the Kings – vou mesmo precisar de ajuda.

Joguei a tolha na semana que passou quando, em dias seguidos, vi duas cascatas inacreditáveis, pelas quais passaria batido não fosse os alertas de dois Conselheiros. A primeira o inédito “desmentido de charge” do Zero Hora (15/01, publicação; 18, errata); a segunda, a publicação pela Veja da foto errada de uma senhora por ela estar usando a bolsa de designer homônima de uma denunciada por um delator da Lava-Jato. Diante disso, precisei admitir que não tenho como acompanhar a enxurrada de cascatas que os coleguinhas despejam diariamente sobre nossas cabeças e, por este motivo, peço help, sem vergonha alguma.

Diante da situação inédita, tive que bolar algumas regras para filtrar minimamente esse caudal cascateiro. Assim, antes de se oferecer como voluntário/a, dê uma olhada nelas:

1. Enviar uma sugestão de cascata não quer dizer que ela será acolhida, e a participação no concurso, garantida. Pelo exposto, se assim fosse, ficaria inviável a eleição pelo número excessivo de concorrentes. As sugestões sempre passarão pelo meu crivo e sou bem exigente, aviso. Por exemplo, cascatas “disse-me-disse” como as que pululam na coluna do Ancelmo Góis e também aparecem na de Sônia Racy e outros colunistas, não entram. Claro que um “disse-me-disse” como aquele do Lauro Jardim afirmando que o Lula fora citado pelo Fernando Baiano é mais que uma fofoca – ela teria sido baseada em informação qualificada. Foi mais que uma barriga, uma cascata, e, por isso, entrou na disputa.

2. Colunistas, aliás, sempre foram um problema para o KofK. Eles dão opinião e ter uma opinião não quer dizer que alguém seja, necessariamente, cascateiro. O problema é quando dão opinião em cima de supostas informações absurdas (como Carlos Alberto Sardemberg, campeão de 2015) ou mal apuradas (como o caso do vice, Merval Pereira, e na de Lauro). Colunistas que, basicamente, são propagadores de fé e não jornalistas – como Míriam Leitão, Suely Caldas, Celso Ming, Eliane Brum, Reinaldo Azevedo, Paulo Nogueira e muitos outros (incluindo, agora, Kim Kataguiri) – também não contam para o KofK – são apóstolos e não se espera que apóstolos raciocinem fora de seus dogmas (ou mesmo raciocinem de qualquer modo). Eles não estão nem supostamente informando, estão pregando – acredita quem quer e fé não se discute.

3. Desta forma, peço que você também seja muito criterioso/a na hora de enviar uma cascata. Ela precisa ser muito incrível (como os casos da ZH e da Veja, citados acima), claramente mentirosa (como a terceira colocada de 2015, sobre a “confissão” de Lula a Mujica, ou a quinta, que a tinta da ciclovia de São Paulo sujava os carros) e/ou muito significativa, de um grande interesse para a coletividade, do ponto de vista político e/ou social (como o direcionamento da cobertura da Operação Zelotes ou o acobertamento dos malfeitos de Eduardo Cunha enquanto ele foi útil). Claro que você pode (deve mesmo) mandar o que quiser, mas eu vou sempre olhar sob esses prismas, ok?

4. As colaborações deverão ser enviadas pera o e-mail coleguinhas.kofk@gmail.com, constando do assunto “kofk”(sem as aspas).

5. Seguindo a tradição da Coleguinhas, todas as sugestões serão em off. Se mesmo com essa garantia, jamais quebrada em duas décadas, você não se sentir confortável para enviar sua colaboração (e eu respeito isso – afinal considero a paranoia a oitava virtude do Bushido), há a opção de mandá-la por meio do ColeguinhasMail, um sistema e-mail anônimo com suporte do GuerrillaMail, um dos principais serviços desse tipo da Deep Web (estou na fila do ProtonMail e quando for aceito, informarei sobre essa opção também).

6. Para a cascata proposta ter mais chances de disputar as seletivas, peço que sejam enviadas as seguintes informações para que eu preencha a planilha que estou criando (vou precisar de um controle mais estrito, pelo já exposto):

a. Link, print de tela, vídeo ou áudio da cascata;
b. Veículo em que foi publicada;
c. Data e/ou edição;
d. Motivo de ser considerada uma cascata. Se ela for cabalmente desmentida como aconteceu nos casos de Lauro Jardim na primeira do Globo, e do ZH e da Veja citados acima – e tem sido a praxe do Instituto Lula -, o link ou o print de tela com os desmentidos serão aceitos como motivo.
e. Autor (desejável, mas não fundamental);
f. Tema (o mesmo)
Bem, isso é o básico. Claro que, dentro de um tema de avaliação tão pessoal (e, para muitos, passional), haverá discordâncias, mas poderemos sempre conversar sobre elas e não sou um cara difícil de dobrar, desde que os argumentos sejam baseados em premissas lógicas – seguidas até o fim – e apresentados de modo civilizado.

Desde já, fico muito grato pela ajuda.

Os 10 mais nos sítios

Para variar está meio complicado arranjar as métricas de circulação das revistas – parece que elas estão tendo alguma dificuldade de se adaptar às novas diretrizes do IVC, como fizeram os jornais (aqui) e, por isso, até o momento, não apresentaram sequer seus números de janeiro. Para não me deixar de mãos abanando, um dos Honoráveis Conselheiros enviou com o ranking dos sites dos veículos.

Antes, de apresentar gráfico e tabelas referentes a janeiro e fevereiro, porém, um esclarecimento importante. Você deverá sentir falta do UOL, Globo.com, IG e do Terra no levantamento. É que esses portais são auditados por outros institutos que não o IVC. Ainda assim, alguns veículos que fazem parte deles estão na lista do Instituto, com O Dia (IG) e Click RBS (Globo.com).
Agora, aos números dos 10 mais:

tabela sites_jan_fev-2014grafico sites_jan-fec-2014

Os dez mais

Como a Folha anunciou (aqui), e creio que só ela, o IVC mudou a contabilização da circulação, dando mais força às assinaturas digitais. Essa modificação foi significativa para a própria Folha (et pour cause) e O Globo. Desde a ENCE, sempre odiei mudanças de base histórica (os professores faziam para nos tirar da zona de conforto e para nos dar rasteiras) e dessa vez não é diferente. Mas como não adianta reclamar (também não adiantava na escola), após, uma troca de emails com dois Honoráveis Conselheiros (sem um saber quem era o outro, evidente), resolvemos começar de novo.

Assim, para marcar o recomeço, segue o ranking dos 10 jornais de maior circulação no país, em tabela e gráfico.

jan/14 dez/13
Folha de S. Paulo 332.354 289.451
O Globo 299.821 274.302
Super Notícia (MG) 292.988 291.799
O Estado de S. Paulo 233.415 233.145
Daqui (GO) 215.671 148.081
Extra 203.537 204.163
Zero Hora 181.772 182.277
Diário Gaúcho 150.214 151.543
Correio do Povo 134.998 135.327
Aqui (MG) 129.674 132.090

Circulação - Ranking, 01/2014

Como se observa, a Folha e o Globo se deram bem com a mudança de critérios do IVC. Muito provavelmente isso deve ter ocorrido porque o Instituto aumentou a fatia das assinaturas digitais que pode ser contabilizada para fins de circulação, passando de 21%para 50%. Assim, a Folha, que tem hoje 34,6% de sua circulação em digital, beneficiou-se muito, o mesmo ocorrendo, em menor escala, com O Globo (27,8%). O Estadão apresenta algo parecido ao Globo (25%), mas deve ter sido atingido pela mudança nos critérios dos descontos – agora, podem ser contabilizadas assinaturas que tenham até 85% de desconto em relação ao cobrado nas assinaturas analógicas. Como os descontos da Folha e do Globo são maiores do que os do Estadão, mais assinaturas passaram a ser contadas.

Fiquei espantado (e, creio, você também, caso tenha prestado atenção) com o salto que o Daqui, jornal popular de Goiânia pertencente à J.Câmara, dona também de O Popular (34º no ranking), de dezembro para janeiro – nada menos de 45,6%. No entanto, é pouco provável que o fenômeno tenha se dado por conta das mudanças de critérios do IVC. O mais certo é que tenha sido uma promoção particularmente bem-sucedida, tendendo a circulação, dessa forma, a voltar aos patamares normais nos próximos meses.

Por falar em próximos meses, os HCs prometeram acompanhar a evolução dos principais jornais, mas, para dar mais consistência aos dados, só pretendo voltar ao assunto lá pelo meio do ano. Eles também acreditam podem arrumar os dados das revistas com mais facilidade do que da outra vez – você deve estar lembrado da luta que foi obter as informações no fim do ano passado. Vamos ver.

Exagero regionalista

A mídia regional é essencial para um país enorme como o nosso, não se discute. Como também, creio, não há discussão que, dos três pilares da notícia – ineditismo, intensidade e proximidade -, o último tem precedência. Por isso, é aceitável, e até mesmo correto, que os veículos de uma região procurem ângulos que aproximem seu leitor/telespectador/ouvinte de notícias importantes, mas distantes.

Deve ter sido seguindo esse raciocínio que os editores do Zero hora On Line, do Rio Grande do Sul, publicaram matéria com um gaúcho que assistiu à estreia de “Batman, o Cavaleiro das Trevas ressurge” nos Estados Unidos, na noite do massacre de Aurora. Só que os coleguinhas exageraram. Leia o lide da matéria e veja o porquê:

“Sempre tem um sujeito com distúrbio mental e acesso a armas”, diz gaúcho que assistia à estreia Batman em uma sala americana.

Estudante de doutorado em Linguística viu o filme em sala lotada em Michigan
O doutorando de Linguística Gabriel Roisenberg Rodrigues, 33 anos, de Porto Alegre, estava em uma sala de Michigan assistindo à sessão inaugural do novo filme de Batman. Só não era o mesmo horário em que ocorreu a tragédia do Colorado porque há uma diferença de duas horas no fuso horário. Mesmo estando nos EUA, Rodrigues ficou sabendo do episódio quando retornou para casa, foi comer alguma coisa e ligou a Rádio Gaúcha no seu Iphone. Confira trechos da entrevista para Zero Hora: (…)”

Ou seja, Gabriel não só não estava no cinema Century 16, como não assistiu o filme na mesma hora em que ocorria o massacre e sequer estava no estado em que ele aconteceu (Colorado).

No fim, uma alma um pouco menos regionalista retirou a notícia do site e, por isso, não pude obter o “print screen” da tela (ficou só a pista no endereço html da página). Pena.

ATUALIZAÇÃO: Graças à habilidade googleana do amigo JP, eis o “print” da brilhante matéria (e quem quiser ler a íntegra da preciosidade, clique aqui) :

Exagero à gaúcha