Os deputados e os veículos de comunicação – VII (Redes Sociais-2)

Esta é a segunda parte da análise da pesquisa da FSB sobre o consumo de mídia dos deputados federais no que se refere às redes sociais (ainda haverá mais uma). Nesta semana, o foco recai sobre a importância dada pelos parlamentares à repercussão nas mídias sociais de sua atuação no Congresso e também às menções pessoais, tanto em geral quanto no recorte por idade.

Recordando as notas sobre a metodologia:

1. O universo abrange apenas os deputados federais.
2. Foram ouvidos 230 parlamentares de 26 partidos, nos dias 8 e 9 de março.
3. A escolha foi aleatória, mas observou-se a proporcionalidade das bancadas.
4. Partidos com apenas um representante não fazem parte da amostra por permitirem a identificação dos respondentes.
5. Para 2016, as respostas alcançam apenas o primeiro trimestre.
6. Só duas redes sociais foram enfocadas – Facebook e Twitter.

Vamos lá:

20161218_relatorio_midia_e_politica_fsb_2016_repercussao_geral_wp

20161218_relatorio_midia_e_politica_fsb_2016_repercussao_pessoal_wp

20161218_relatorio_midia_e_politica_fsb_2016_repercussao_por_idade_wpAnálise

1. A média da repercussão pela atuação política (gráfico 1) é de 5,3 pontos. No entanto, 41% se encontram acima da média, enquanto 28% estão abaixo dela.

2. Já o gráfico 2 (atuação pessoal), a média é levemente superior (5,6 pontos) e o percentual daqueles que se importam mais sobe para 46%, contra 27% abaixo.

3. O gráfico de idade mostra que a faixa que vai de 41 a 50 anos mostra um preocupação acima da média com a repercussão na mídia social, seja sobre a atuação política (5,7%), seja no que se refere às menções pessoais (6%). Os percentuais são significativamente maiores do que os apresentados na faixa seguinte (51 a 60), que ficam em 5% e 5,3%, respectivamente, em ambos os casos abaixo da média geral.

4. O cruzamento dos três primeiros itens aponta para um crescimento da atenção dos parlamentares no que diz respeito às mídias sociais nos próximos anos. A previsão, porém, pode sofrer variações fortes após as eleições gerais marcadas para 2018, quando é prevista uma renovação maciça no Parlamento.

Anúncios