E as caminhonetes, Folha?

Já a Folha, em seu editorial de ontem, explica o seu apoio ao Golpe de 64 dizendo que, na época, pelos dados de que se dispunha, era a posição a ser adotada e que é pusilânime condená-la pelo que fez. Vou dar de barato de que se possa acreditar no caô de que Jango pretendia dar num golpe de esquerda no país – versão que já rola há décadas, mas agora ganhou mais gente falando dela. Mas como é que a cessão de caminhonetes da Folha da Manhã para a Operação Bandeirantes caçar militantes de esquerda já nos anos 1970 – ou seja, anos depois do Golpe e após mesmo o AI-5 – entra no “erro de avaliação”? Isso o editorial não explica, na verdade sequer menciona.

Enquanto esse fato não for admitido, e o devido perdão pedido, a verdade continua dura: a Folha ajudou (não apenas apoiou) a ditadura.

Anúncios