A grana ficou mais curta na Irineu Marinho

Muita gente deve ter notado também, mas, como eu, não deu importância ao fato – o caderno diário de esportes do Globo finou-se. Ainda vai reencarnar nas segundas e durante os grandes evento esportivos, como antigamente, segundo a explicação oficial que saiu sábado na “Alô, mamãe!”, a coluna cabotina da página 2. Nela, está escrito, entre outras razões, algo como racionalização do papel. Tradução: está faltando grana para um dos principais insumos de um jornal.

Creio que a movimento já estava decidido – afinal, sabemos, esse negócio de mídia impressa está com os dias contados, vai virar coisa de nicho – mas o que deve ter determinado sua implementação neste momento foi aquele acordo com o Cade, que proibiu a venda casada de anúncios, praticada pelo Infoglobo (recorde aqui). Agora, sendo cada jornal por si – embora não completamente – havia que se reduzir a quantidade de papel, cada folha tendo que ser paga com o que foi arrecadado por meio dela (ou quase).

Ou seja, acabou-se o que era doce, quem comeu, regalou-se…

Anúncios

2 comentários sobre “A grana ficou mais curta na Irineu Marinho

  1. E desde ontem, Ivson, O Globo está cobrando assinatura para ter acesso ao conteúdo.

    • É? No site? Bem, não chega a ser surpresa, Flávio. Neguinho está espremendo até pedra para ver se sai algum leite. Tá ruim pra todo mundo, velho. :/

Os comentários estão desativados.