Os “barões da mídia” e o medo do “banho”

A histeria da mídia conservadora em torno da possibilidade do Celso Mello conceder o tal embargo infringente aos réus do tal mensalão não tem nada a ver com Justiça, defesa da democracia, combate à corrupção ou qualquer coisa do tipo. Tem a ver com um problema vivido pelos traficantes – a questão do “banho”.

Para os poucos que não sabem, “banho” é quando um traficante menor fica com parte do valor que tinha combinado com o fornecedor pela venda da droga. Ao se deparar com essa situação, o bandido maior não tem escolha – precisa executar (ou mandar executar) quem lhe passou a perna, mesmo que seja sua mãe, pai, filho ou irmão. É que, se não fizer isso, ficará desmoralizado, perdendo o respeito não só de quem o enganou como de todos os que estão em sua volta. E, logo, será ele o morto.

E o que foi combinado pelos “barões da mídia” com alguns impolutos magistrados do STF? Que eles entregariam os réus da AP 470 embrulhados e prontos para a execração pública. O acordo previa que José Dirceu, o principal alvo da caçada, por exemplo, receberia uma pena que o levaria a ser encarcerado. Quando isso ocorresse, seria humilhado publicamente – e com ele, acreditam os reacionários e conservadores, o PT – com direito a transmissão direta, em rede nacional, do momento em que estivesse entrando na cadeia, com repetição, ad nauseam, em todos os telejornais, além de muitas, muitas fotos.

Se os embargos forem concedidos, é muito provável que as penas sejam reduzidas – não existe possibilidade de absolvição -, até porque foram mesmo exageradas. Dirceu, para ficar no exemplo, com os advogados que tem, talvez consiga até  cumprir a pena em prisão domiciliar. Afinal, o Pimenta Neves, ex-diretor de redação do Estado de São Paulo, que matou a tiros namorada, a também coleguinha Sandra Gomide,  de forma premeditada e pelas costas, não cumpriu apenas dois de seus 19 anos de prisão e agora está em regime semiaberto (sem qualquer protesto dos “barões”)? Aliás, para você ver o exagero das penas, o Marcos Valério, que é canalha corrupto, mas não é assassino, pegou 40 anos.

Se o STF não lhes entregar o combinado, os “barões” da mídia vão fazer o quê? “Assassinar” o Supremo moralmente seria a resposta. Mas como, se eles têm um sem-número de interesses que tramitam ou tramitarão por aquela Corte? E se não “chacinar” os juízes do STF, a mídia conservadora ficará desmoralizada até para os reacionários brasileiros (para a parte boa da sociedade já está há muito tempo, como se vê nas manifestações). E aí, como é que ficaria?