O perfil dos coleguinhas

A Universidade Federal de Santa Catarina, por meio de Núcleo de Estudos sobre Transformações no Mundo do Trabalho, num convênio com a Fenaj, lançou – com apoio da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo e do Fórum Nacional dos Professores de Jornalismo – o que, creio, seja a primeira grande radiografia do profissional de jornalismo no Brasil. A pesquisa “Quem é o jornalista brasileiro – Perfil da profissão no país” ouviu 2.731 coleguinhas, de todas as unidades da Federação e também gente no exterior, por telefone, email e on line, entre 25 de setembro e 18 de novembro de 2012. Os resultados apresentam margem de erro de 2% num intervalo de confiança de 95%.

O levantamento mostra que o típico coleguinha é mulher, branca, solteira, com menos 30, trabalha no setor privado, ganha até cinco salários-mínimos e apoia a criação de um órgão de autorregulamentação da profissão. A pesquisa – que finalmente, esboça a cara do jornalista brasileiro e pode ser a base para ações efetivas em favor da categoria – pode ser baixada aqui.

Anúncios