A visita da jovem senhora cubana

A visita da Yoani Sanchez, aqui alcunhada de “blogueira cubana” (um amigo uruguaio acha estranha essa caracterização e está à espera de uma twiteira tcheca), se transformou num daqueles divertimentos que, como a jabuticaba, só o Brasil pode apresentar, em duas vertentes, que se completam:

1.Os veículos de comunicação fizeram com a chegada da moça, omo se tratasse de um resgate como aquele do excelente filme “Argo”. A garota não tem importância para ser alvo de tamanha festa. É apenas mais uma da longa série de dissidentes, que desponta para o anonimato depois que deixam o país de origem. Quem lembra daquele grupo de cubanos, que, há alguns anos (acho que quatro), caiu fora da Ilha e foi para a Espanha? Ninguém mais se recorda deles – não têm mais ibope nem no “El País”. Isso acontece porque dissidente só é importante quando está dentro da comunidade do qual dissente. Fora dela, seu efeito político se perde – afinal, que importância tem Yoani se ela fala mal dos Castro ao sol de Ipanema, em Miami, Madri ou mesmo na tribuna da Sociedade Interamericana de Prensa (SIP),d a qual é, significativamente, vice-presidente? Aliás, a ressaltar a pouca importância dessa jovem, ela fez a sua primeira visita ao Bananão. Se fosse importante politicamente, iria direto para Miami ou, no mínimo, para Madri.

2.Assim, aqueles manés que foram cercá-la país afora apenas encheram um balão que, inevitavelmente, perderia gás assim que pusesse os pés fora de Cuba. Só que esse escândalo não foi apenas burrice. Ele se prestou para reforçar os grupelhos dentro da esquerda. “Nós fizemos essa manifestação! Viu como somos organizados?”, diz o chefe de um desses agrupamentos para o chefe de um partido, responsável por distribuir a grana interna. Diante da “prova”, ele repassa mais grana para o grupelho, reforçando seu poder interno. É, partidos políticos são assim, aqui, em qualquer lugar e qualquer tempo, fazer o quê?

Bem, diante das evidências acima, a visita da blogueira cubana tornou- se quarta cascata concorrente ao King of the Kings-2013.

6 comentários sobre “A visita da jovem senhora cubana

  1. Os caras tem que justificar sua existência.

  2. Não sei se entraria na do ano passado, pelo nascedouro, ou neste ano, pela verificação do resultado, mas estou há tempos para sugerir a inclusão do “sucesso” das máscaras de Joaquim Barbosa no Carnaval…

  3. No RJ, a cubana teve o que merece. Não conseguiu competir com a praia e não levou um único militante ao aeroporto…

Os comentários estão desativados.