Ingratidão

Além da incongruência entre as duas notas abaixo (Você notou também? Me diga! Pode ser pelos comentários ou em particular, pelo link “No pé do ouvido”, aí ao lado), elas mostram como o Ancelmo é ingrato. Enquanto a Marina era a única possibilidade de oposição à Dilma no campo da esquerda ou da centro-esquerda, era uma queridinha. Agora, como surgiu o neocoronel Dudu Campos, a pobre leva na cabeça, mesmo quando está certa (segunda nota), embora tenha feito besteira também, como observa a primeira nota com correção (Não, não é essa a incongruência, espertinho/a).

 

20130218_ancelmo e marina

2 comentários sobre “Ingratidão

  1. Bem observado, Ivson. Eu tenho a leve lembrança de uma prática comum no nosso tempo no copi da editoria política no Globo, que me faz pensar que um passarinho trinou no ouvido do Ancelmo e ele não soube dar o recado direito. Quando eu tava lá, lembro de algumas normas sopradas, mas jamais oficializadas. Cito uma: tempo de Constituinte, não se podia nominar o Artur da Távola, então ele era citado apenas como “o relator da subcomissão de Comunicação…” (estava relatando a proposta que instituía os comitês de redação e que não foi incluída na “Carta Magna”). Depois ele passou a se comportar “bem” e o jornal o ajudou em futuras eleições, depois de mantê-lo “de castigo” por um tempo. Pela mesma época, um Ministro da Aeronáutica foi mantido anônimo por um longo tempo. Seu nome não era citado, só o cargo.
    Daqui a pouco a moça ouve a “voz da razão” (como seu colega Gabeira fez) e vão dizer para o Ancelmo que ele já a maltratou demais e pode dar uns afagos, de leve.

    • É, Sanz. Lembro de um sábado, por volta das 19h, jornal fechado, vem ordem para reabrir a página 3 por que o ministro- chefe do SNI, Ivan de Souza Mendes, se tornara persona non grata. Nosso Companheiro tinha discutido com ele durante um enterro de um prócer da Redentora pq Robertāo soubera que o Serviço estava investigando uma importaçāo estranha da TV Globo. Nosso Companheiro exigiu que a investigaçāo parasse e o general disse que ia continuar. Pior que Ivan tinha segurado o caixāo bem na frente, feito a oraçāo fúnebre e dado a entrevista principal da matéria. Tive que mudar todas as citaçōes do nome para “ministro-chefe do SNI” e o Gazza precisou desencavar uma foto em que o general nāo aparecesse.
      Passam-se os anos e as pessoas e O Globo nāo muda.

Os comentários estão desativados.