Os opostos (?) se encontram diante da lei

“Ninguém pode nos obrigar a simplesmente aplicar o que está escrito na lei”

A frase acima não foi dita pelo chefe do tráfico do morro do Morro do Cavalão ou qualquer outro criminoso, mas pelo reitor de Universidade Federal Fluminense, Roberto Salles, e publicada ontem (29), num “levanta-e- corta”, na página 15 de O Globo (“levanta-e-corta” é um termo que não sei se existe para um tipo de simulacro de entrevista em que o personagem diz coisas que a publicação não tem coragem de afirmar nem em editoriais). O magnífico reitor reclamava do pouco tempo que, supostamente, tem para cumprir a lei da cotas, aprovada pelo STF, inclusive com o voto a favor do super-herói das redes sociais, Joaquim Barbosa.

O que será que estão pensando o alunos de Direito da UFF – para não falar do próprio Joaquim – diante do conceito que a o magnífico Salles tem da lei?