Dando ciência

Apesar da avalanche de más notícias sobre o tema, não vamos nos enganar: ainda há vida inteligente no jornalismo. Uma delas foi homenageada hoje num lugar muito improvável: a coluna “Alô, mamãe”, aquela editada na página 2 do Globo, na qual o jornal declama odes ao próprio umbigo e faz endomarketing nas fuças do leitor.

O homenageado foi César Baima, a quem tive o prazer de conhecer virtualmente no vídeo em que falava sobre a comprovação da existência do Bóson de Higgs (aliás, é uma boa o César continuar nas pretinhas do teclado…). O coleguinha cumpre com tremenda competência a difícil tarefa de traduzir o linguajar da Ciência para o nosso, pobres mortais, como aconteceu no caso da chamada (para irritação dos físicos teóricos, ao que se conta) “partícula de Deus”.

Por causa de Cesar – e de Roberta Jansen, outra que bem merecia uma “Alô, mamãe” -, ambos editados pela excelente Ana Lúcia Azevedo, é que repito, no caderno que abre com a Economia, quando é dia da página de Ciência (ou de História, claro), o que fazia no tempo em que a “cabeça” do jornal trazia o Esporte – leio de trás pra frente.

Anúncios

Um comentário sobre “Dando ciência

  1. Pres. Zezinho isola partícula e revoluciona ciência
    6 de julho de 2012

    MÉRITO: Cientistas reivindicam Nobel de Física para o pres. Zezinho e Nobel de Economia para o Dr. Paulo Caixa Preta Dois.
    O Mais Preparado dos Brasileiros, o futuro pres Zezinho, deu mais uma contribuição inestimável ao conhecimento humano, em importante pesquisa desenvolvida no acelerador de propinas da Caverna do Ostracismo.

    O Presidente de Nascença conseguiu isolar uma particula fundamental, o Bóston de FHC. De imensões insignificantes, essa partícula tem peso desprezível e possui a propriedade de não servir para nada, apenas para atrair jornalistas de programa.

    A nova particula tem, entre suas propriedades mais significativas, uma carga política negativa muito forte, tão negativa que tende a repelir udenistas em campanha eleitoral. É praticamente impossível encontrá-la em um palanque ou em um discurso da UDN.

    PARCERIA ESTRATÉGICA: A UDN implantou um enorme acelerador de propinas em São Paulo, com a ajuda da Alstrom.
    Durante suas pesquisas, o Mais Sábio dos Homens contou com a sempre prestimosa ajuda de seu assistente de pesquisa para ciências propinoviárias aplicadas, Dr. Paulo Caixa Preta Dois, especialista em coleta e desaparecimento de partículas.

    Homenagem
    O Bóston de FHC recebeu esse nome em homenagem ao grande ex-intelectual udenista, que recentemente detectou outra importante partícula, o Fódon de Horns.

    O Fódon de Horns é uma partícula fundamental que compõe os átomos das moléculas das substâncias que formam os chifres e outros adornos encefálicos. Foi descoberta pelo ex-sábio FHC em um laboratório madrilenho, graças ao trabalho de sua parceira, Dra. Miriam, que havia ganho uma bolsa da Fundação Roberto Marinho para passar uma temporada na Espanha.

    Nota triste

    Infelizmente, algumas particulas desapareceram sem explicação, durante os experimentos.

    O Pres. Zezinho (DIREITA) e o Dr. Paulo Caixa Preta Dois agora estão treinando candidatos udenistas a desviar do Bóston de FHC.
    Dos caudalosos esgotos morais da Caverna do Ostracismo jorraram bem fundamentadas hipóteses sobre a causa desse fenômeno de desmaterialização das partículas.

    Segundo vários sábios udenistas, cerca de 4 milhões de Bósons de FHC teriam desaparecido depois de coletadas pelo Dr. Paulo Caixa Preta Dois, que as manipulava em nome do pres. Zezinho.

    Outras versões relatam que as partículas teriam desaparecido e, após um salto quântico, reaparecido em uma ilha caribenha muito descoberta pelo Almirante Sérgio Ricardo, diretor do departamento de limpeza monetária da UDN.

    QUADRILHA: A UDN fez uma bela festa junina para comemorar o novo acelerador de propinas.
    Algumas fontes da seção mineira da UDN, por sua vez, tentam diminuir a importância do feito do pres. Zezinho. Segundo os seguidores de Tancredo Neves, o resultado do experimento teria sido totalmente acidental. Na verdade, o Almirante do Tietê e o Dr. Paulo Caixa Preta Dois estariam fazendo um experimento com as temíveis Partículas Delta, obtidas em uma cachoeira no Centro-Oeste. Os dois estariam tentando fazer desaparecer alguns milhões de Partículas Delta, que, se fossem soltas pelo Dr. Paulo Caixa Preta Dois no recinto do Congresso Nacional, poderiam fazer cair a casa do pres. Zezinho.

    Comentário da tia Carmela
    O Zezinho sempre gostou de brincar de cientista. Quando ele era moleque, ele pegava o Reinaldinho Cabeção para ser o assistente dele para brincarem de fazer experiência. Eles juntavam uns ovos podres e outras porcarias, misturavam tudo e punham numas garrafinhas daquelas de ficar jogando água no carnaval. Aí levavam para a escola e na hora do recreio saíam espirrando aquela água fedorenta em todo mundo…
    http://tiacarmela.wordpress.com/

Os comentários estão desativados.