Déjà vu

Coleguinha de jornal do Rio, que já leu “Memórias de uma guerra suja” (o meu ainda não chegou), jura que reconheceu passagens inteiras de matérias suas no depoimento do assassino Cláudio Guerra a Rogério Medeiros e Marcelo Netto.

Anúncios