Melancólica aula de jornalismo (e de outras coisas)

É o seguinte: essa entrevista com o escritor e coleguinha português Manuel António Pina, vencedor do Prêmio Camões de 2011, é de antologia. Uma aula de religião, filosofia e jornalismo e mais uma ou outra coisa, tudo afinado na clave de um ceticismo melancólico. Sem contar que mostra também como se faz uma entrevista com um intelectual. Aconselho a ler – óbvio, se não por que compartilhar, certo? -, mas aviso: vai ser dureza.

Agradeço ao amigo Luiz Carlos Mansur o envio do texto.

Anúncios

Um comentário sobre “Melancólica aula de jornalismo (e de outras coisas)

  1. Muito boa a entrevista. Sensacional quando ele diz “A grande dignidade da vida e do jornalismo está em ter a consciência plena de que aquilo acaba a embrulhar peixe, mas fazê-lo o melhor possível em cada momento. Fazer o mais honesto, empenhar-se ao máximo, sabendo que é completamente irrelevante. É essa a grandeza do ser humano.”

    Acho que no fundo é esse o dilema que se vive em qualquer organização, seja um jornal, seja uma grande empresa. Vou anotar essa frase e me lembrar dela nos momentos de impaciência com a “malta ignara”.

Os comentários estão desativados.