(Contra) balançando em Cuba

Dilmão foi pra Cuba e para lá seguiram também  repórteres escolhidos a dedo com a missão de “informar” que os cubanos vivem no quinto círculo do Inferno de Dante – e cobrir a visita da presidente nas horas vagas, claro. Como nos jornais e revistas não teremos o outro lado, quem quiser saber dele terá que apelar para livros como “Os últimos  soldados da Guerra Fria”,  reportagem magnificamente escrita por Fernando Morais, que conta a saga da Rede Vespa, um grupo de espiões cubanos implantados em Miami para frustrar os ataques terroristas de cubano-americanos apoiados pelo governo dos EUA – e, por tabela, pelos veículos brasileiros, que nada noticiaram sobre os tais atentados.