A primeira concorrente ao KofK-2012

Em 27 de dezembro, encontrei  o coleguinha de redação num evento e ele mandou de prima:

– E aí? Quando começa a eleição do KofK? Quero votar!

– Calma, bicho! T em que esperar o fim do ano. Vocês estão tão danados esse ano que tenho que esperar até dia 31. Vai que vocês arrumam uma última cascata ao apagar as luzes! – respondi.

Não era realmente a sério.  Já estava com tudo na minha cabeça, até a decisão de pôr a cascata sobre Fernando Pimentel como a última cascata do ano que findava.

Mas não é que a galera ainda arrumou mesmo tempo para uma última em 2011?

O problema é que só a descobri já na primeira semana deste ano, ao ler alguns emails atrasados da caixa em que centralizo o recebimento de listas. No caso, a do Comunique-se (hoje mais conhecido como C-se, apelido que dei ao portal quando era colunista de lá, no seu início, por pura preguiça de escrever-lhe o nome todo). Lá descobri essas duas matérias (aqui  e aqui) e fiquei com um problema: a cascata era de 2011, o assunto também, mas só a descobri este ano. E aí? Era a última de 2011 ou a primeira de 2012?

Minha decisão soberana, como sumo-sacerdote e presidente do júri do King of the Kings, é que o silêncio dos veículos sobre o livro “Privataria Tucana” será a primeira concorrente de 2012. Os motivos são três:

1.Já estava correndo a eleição para o Kofk-2011, com as concorrente definidas. A entrada de uma última acabaria por prejudicar eleitores que quisessem votar nela.

2. Essa cascata levaria vantagem sobre as outras por ser um assunto muito quente e estar ainda em cima do fato.

3.A cascata continua, pois os veículos sem mantêm renitentes em falar do fenômeno editorial que é o livro de Amaury Ribeiro Jr (quatro reimpressões em dois meses e dificuldade enorme de se conseguir um exemplar – eu tive que camelar por quatro livrarias antes de conseguir um dos últimos da Travessa da Rio Branco, que recebera um carga de 20 livros apenas dois antes).

Ah! Antes que me esqueça, aqui está a versão de “A Queda – Os últimos dias de Hitler” para o assunto  –  como você  deve saber, o filme de Oliver Hirschbiegel virou veículo para gozações sobre os mais diversos temas  na Rede nos últimos anos e a tentativa da mídia brasileira de esconder “A privataria tucana” do público era um alvo por demais tentador para escapar incólume.

6 comentários sobre “A primeira concorrente ao KofK-2012

  1. Na boa, acho que o silêncio sobre o livro, em 2011 ou em 2012, é hors-concours. Não tem nem o que discutir.

    • Pensei nisso, Rodrigo. Só que todo ano está rolando um hour-concours e por isso decidi botar na roda normal. Até acredito que vai ser lavada, mas não cravo porque já aprendi a não menosprezar a capacidade cascateadora dos coleguinhas.

  2. Aliás, a história da grávida de quadrigêmeos (ou de uma bola de Pilates) merece entrar também…

Os comentários estão desativados.