Três rapidinhas

Três rápidas para o feriado com tempo feio:

1. O George Vidor já tinha cantado a pedra em sua coluna de ontem – a inflação parece estar seguindo as previsões do Banco Central, ao contrário do que vaticinaram os analistas de sempre, ouvidos pelos coleguinhas de sempre, há alguns meses. Vidor não acredita que os analistas vão pedir desculpas ao presidente do BC, Alexandre Tombini. E nem, acrescento eu, serão cobrados para fazê-lo pelos coleguinhas.

2. Depois de cinco dias, e após a mancha de óleo se espalhar por mais de 160 km², finalmente os jornais, ainda que timidamente, começam a dar espaço ao acidente com a plataforma da Chevron, na Bacia de Campos. Agora, imagina se fosse a Petrobras? No primeiro dia, tinha até helicóptero filmando de cima e rios de tinta gastos em lembrar os outros problemas que a estatal já causou ao meio ambiente. Mas como é empresa privada e, ainda por cima, norte-americana…

3. Por falar nesse acidente, é  ensurdecedor o silêncio do Ministério Público, das ONGs e dos “artistas engajados”, sempre tão prontos a atacar os danos ambientais causados por hidrelétricas, por exemplo.

2 comentários sobre “Três rapidinhas

  1. Acabei de ver a matéria no JN de hoje: 5 segundos.

    • Uau! Para ganhar 20 segundos, a mancha vai precisar ter uns 500 km2, né?

Os comentários estão desativados.