Lição de desonestidade

Primeiro, por favor, leia essa matéria.

Obrigado. Você deve ter contado três fontes na matéria – Edmar Bacha, Regis Bonelli e Mônica de Bolle. Pois lamento dizer que você foi enganado, pois só há duas fontes realmente.

O truque do Estadão foi apresentar duas das fontes  como se elas não estivessem ligadas, como de fato estão. Mônica de Bolle ((guarde bem o nome dessa moça. Você ainda vai ouvir falar muito dela) é apresentada como “economista da Galanto Consultoria e diretora executiva do Instituto de Estudos de Política Econômica Casa das Garças”, o que ela é. Já Edmar Bacha é descrito apenas como economista, não sendo mencionado que é também diretor da mesma Casa das Garças, da qual, aliás, é fundador  (veja aqui).

Para quem conhece os meandros dos economistas, especialmente no Rio, como os repórteres do Estadão, a relação é sabida, mas quantos dos que leram a matéria lá de cima no jornal dos Mesquita estão de posse dessa informação? Esses foram feitos de otários.

Anúncios