Testemunho ocular

De ônibus, passei na Cinelândia por volta das 18h45min. O carro de som da manifestação anticorrupção estava na praça, de costas para a entrada do Municipal. O povo se espalhava, sem aperto, mas não chegava ao Amarelinho. Com base na presença em dezenas de manifestações no mesmo local, calculei o número de pessoas entre 2.500 e 3 mil, não mais do que isso.

Para efeito de comparação, a primeira concentração das Diretas-Já, tinha umas 25 mil almas – praça totalmente lotada até o Verdinho, com gente nas escadarias da Biblioteca Nacional e do Municipal. Outra comparação: no comício de encerramento do candidato do PT ao governo estadual, em 82 – o bravo companheiro Wilson Farias (por onde será que anda?) -, com a presença daquele líder metalúrgico que estava fazendo furor em São Bernardo, éramos uns 5 mil, alguns empunhando uma bandeira vermelha com PT em um círculo (parecida com o lábaro do glorioso América) e outros trazendo nas mãos a bandeira vermelha, mas com as duas letras em vermelho, dentro de uma estrela branca.

Õ, varandão da saudade!

2 comentários sobre “Testemunho ocular

  1. Dois pequenos reparos, que não invalidam seu testemunho: o candidato do PT em 82 era Lysâneas Maciel, autêntico do MDB que viera para o PT depois de breve passagem pelo PDT de Brizola. Wilson Farias foi o candidato em 85, o pior desempenho eleitoral da história do partido, com menos de 1%. A caminhada final teve cinco pessoas na Rio Branco: Wilson Farias e a mulher, a vice Miriam Limoeiro e o marido, mais o Zé Luis Fevereiro, hoje dirigente do PSOL.

    • Perfeito, Cezar! Isso mesmo! Grande Lysanêas…Ele tinha uma das bases eleitorais lá na região de Pavuna-Anchieta, onde morei alguns anos.
      Mas ainda fica a pergunta: por onde anda o Wilson Farias?
      Bom saber o que está fazendo o Zé Português.

Os comentários estão desativados.