Se é pra valer…

Não entendi patavina, mas já que o Infoglobo resolveu publicar suas normas de redação veja abaixo um bom teste para saber se elas são mesmo para valer. Como parece ser o novo costume no país, o afastamento dos citados e a realização de uma investigação, com a devida publicidade dos resultados, seria o caminho aconselhável para as tais normas não serem desmoralizadas já no primeiro dia.

Do blog de Fred, jogador do Fluminense:

“Resumo da conversa entre Caio Barbosa e Gilmar Ferreira

Este seria apenas mais um caso de violência de torcida, não fosse a parcialidade dos joranalistas Caio Barbosa (do Jornal Extra) e Gilmar Ferreira (da Rádio Globo), que há tempos me perseguem sistematicamente em suas matérias e redes sociais.
Como que repórter e editor de veículos bem-conceituados, como o Extra e a Rádio Globo, que fazem parte de um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo, dão credibilidade a um bando de desocupados disfarçados de torcedores?
Na verdade, tudo comecou em 2009, quando o Gilmar Ferreira publicou uma matéria afirmando que eu surfei quando estava lesionado. Dei uma entrevista ao Jornal Extra, do qual ele era o editor na época, e o chamei de irresponsável e mentiroso em seu próprio veículo. A partir dali, ele nunca mais parou de me perseguir.
Já a história do Caio Barbosa… Hum! Esse eu fico até com vergonha de citar o nome dele, tendo em vista que há dois dias ele era um ilustre desconhecido. Está atingindo seu objetivo, que é aparecer às minhas custas. Deve ser o melhor discípulo que o Renato Maurício Prado teve até hoje.
Devo admitir que o Gilmar Ferreira pelo menos tem história no Jornalismo Esportivo e culhão, porque, quando ele errou comigo, em 2009, teve a hombridade de se retratar.
É pública e notória a ligação do Caio Barbosa com torcida organizada. Isso não é de hoje! Inclusive, muitos de vocês podem comprovar o que estou dizendo.
Vejam o tweet que esse Piero Martins enviou pro Caio Barbosa no domingo, dia 31: “Acabamos de enquadrar o 9 na porta da casa dele”.
Dois dias depois, o Caio Barbosa postou a seguinte mensagem: “O bonde (no caso, membros da Young Flu) tá na rua, vai dar merda…”. Mensagem essa que foi apagada minutos depois. Ele apagou, mas eu tenho o print.
A partir de então, o Caio Barbosa começou a trocar mensagens com o Gilmar Ferreira falando sobre a “Tia Carmem”. Para quem não sabe, Carmem é a mulher que trabalha lá em casa. Recentemente, ela apareceu no programa Tá Na Área, do Sportv.
O Caio Barbosa disse que estaria “preparando a sopa para o jogador” e diz, em seguida, que “a sopa vai ficar boa”. Traduzindo: os desocupados estavam a caminho do restaurante onde eu me encontrava.
Gilmar Ferreira, então, orientou o colega a “mandar um fotógrafo lá para acabar com a farsa logo”. E completou: “Boa. E manda um pratinho pro bobo formado nas areias de Ipanema”.
Na quarta-feira, Caio Barbosa enviou mensagens dizendo que a matéria especial do jornal no dia seguinte (quinta-feira) seria com o “sobrinho da tia Carmen”. No caso, eu. Resposta do Gilmar Ferreira: “Xiii”!
Isso sem falar nas inúmeras vezes que ambos denegriram a minha imagem em seus tweets. Por fim, se alguém mais da imprensa for complacente ou corporativista com a postura desses caras que se julgam jornalistas, só lamento por essa pessoa.”

6 comentários sobre “Se é pra valer…

  1. Oi, Ivson. Comecei a acompanhar o seu blog recentemente, e acho muito importantes iniciativas como a sua.

    Você tem alguma ideia do que motivou a Globo a divulgar as diretrizes editoriais? Vi no Jornal Nacional ontem, e fiquei intrigada se perdi alguma coisa…

    • Obrigado pela força, Luciana.
      Não tenho ideia do motivo dessa publicação. Já vi coisa do tipo, de empresas que desejam ter ações negociadas, por exemplo, no Nível 2 ou Novo Mercado, da Bovespa, e/ou entrar em listagens de índices de empresas sustentáveis. Só que a infoglobo não tem ações negociadas em Bolsa.

  2. O link está quebrado…

    • Valeu, Zé Antônio. O link está quebrado mesmo, mas dei um jeito,lincando com o blog, mas não diretamente ao post.

  3. Fiquei chocado com a capa do Extra de quinta-feira. Fla e Vasco com duas vitórias bonitas e o destaque do jornal vai para a perseguição de desocupados a um jogador em seu horário de folga depois que seu time ganhou de 4 a 0, com gol do referido jogador. Com direito a lista de consumo do jogador e do seu grupo no bar.

    • É caso de assédio moral mesmo. O interessante é que o Fred vai a bares e boates sem se enconder, exercendo seu direito de cidadão. Já o R10 promove orgias em casa (o que também é de seu direito, aliás, se não houver menores envolvidos/as) e há apenas indiretas nos jornais.

Os comentários estão desativados.