Peralá!

Essa história de tentar vincular o  maluco de Realengo a algum grupo extremista está cheirando mal. Velho homem de assessoria que sou, tenho a forte impressão de que começou uma operação de comunicação destinada a mudar o foco do assunto da falta de segurança nas escolas do Rio de Janeiro para uma conspiração. Por que se faria isso? Porque se ficarmos na discussão da falta de segurança, as famílias das vítimas bem podem processar a prefeitura e o governo do estado. Ganham? Não sei, mas só a ação na Justiç a deixaria em maus lençóis o governador e o prefeito na antevéspera de um pleito (tem um em 2012, lembre-se).

Aliás, olhando bem, acho que estou reconhecendo umas digitais nessa jogada…Mas é como dizia minha vó Sinhá: “pau que dá em Chico, dá em Francisco”.

Anúncios