Valeu, barbudo!

Muitas vezes discordei do radicalismo do Jorge Nunes quando éramos  da diretoria do Sindicato,. No entanto, nunca lhe neguei a coragem e a opção de trabalhar a fotografia como veículo para mostrar como o Brasil é injusto com seus cidadãos.

Vai  na paz, ô da barba.