Reconstruindo a direita

Nessa primeira semana da campanha do segundo turno, os tucanos, os demos e a grande mídia parecem ter começado um movimento de reorganização da direita, que andava meio sem rumo há quatro anos, desde a ressurreição de Nove-Dedos e sua vitória em 2006. Como não têm lá muita imaginação e são completamente americanófilos, os três pilares da oposição estão tentando decalcar os neocons norte-americanos, investindo forte na questão religiosa e moral e defendendo a diminuição do Estado, via privatização.

A tentativa é concentrar a discussão do segundo turno nessas duas vertentes a fim de evitar o resto dos assuntos nos quais não se sente muito à vontade, especialmente a continuação dos programas de redistribuição de renda e a presença maior do Estado como regulador de fato – e não em nivel apenas legal, com as agências – da economia, assuntos claramente interligados.

VAmos ver se esse movimento continua semana que vem e como a campanha de Dilma tentará vencer esse cerco e abrir caminho para discutir o projeto de país de maneira mais profunda, política e holística.

2 comentários sobre “Reconstruindo a direita

  1. A Veja sempre me surpreende. Hoje parecia um house organ da opus dei…
    abraços

    • Há tempos ela é. Mais precisamente desde que foi comprada pelos racistas sul-africanos.

Os comentários estão desativados.