De censuras e omissões

Aqui está o lado de Maria Rita Kehl e aqui as explicações de Ricardo Gandour, diretor do Estado de São Paulo.
Aqui a reprodução da matéria do C-se sobre o Caso Falha de São Paulo.
E em lugar nenhum a cobertura dos casos em outros veículos da grande mídia.

Então ficamos combinados assim: o Estado de São Paulo e a Folha de São Paulo não podem acusar ninguém de censura antes de pedirem desculpas públicas por terem praticado agressões à liberdade de expressão e opinião, e os outros veículos também não podem fazer o mesmo tipo de acusação até pedirem desculpas públicas por terem se omitido e não condenado as agressões da Folha e do Estadão.

Anúncios