As democráticas preocupações da Folha

Fernando de Barros e Silva e Eliane Cantanhêde vituperaram hoje, na Folha, contra o nível dos candidatos a deputado  em São Paulo. Lamentam, de modo candente, as candidaturas de Tiririca, Mulher-Pêra e outras figuras.

Fiquei a me perguntar do que reclamam. Você lembra qual foi a última vez que um político foi, não digo nem elogiado pela Folha, mas apresentado de maneira respeitosa, fazendo algo de bom em prol da comunidade? Certo, não é muito comum nenhum veículo de comunicação mostrar os bons políticos (Yeah! Há alguns deles sim!) fazendo seu bem trabalho, mas acontece aqui e ali, mas não na Folha.

Ô, não! No jornal dos Frias político é sinônimo de corrupto ou mesmo simplesmente de bandido. Não há aqueles que combatem pelo bem comum, como Marcelo Freixo, que enfrenta as milícias no Rio, ou o Chico Alencar, sempre vigilante no Congresso, ou Eliomar Coelho, que faz o mesmo na Câmara Municipal carioca. Tenho certeza de que há gente como eles em São Paulo. Ok, eles podem ser minoria, mas, por isso mesmo, deveriam ser melhor focalizados. Os três que citei são de esquerda, mas, também certamente, há políticos de direita que defendem seus pontos de vista com honestidade e igualmente não aparecem nos jornais, em especial na Folha.

Esse vício de atacar político é tão profundo no diário da Barão de Limeira que nos artigos supracitados, ele aparece, em esplendor e glória. Ao lê-los ficamos com a certeza de que a eleição de São Paulo é disputada por palhaços, moças de grandes dotes calipígios ou costureiros. Se acreditarmos na Folha, não há gente de bem querendo representar os paulistas na Câmara Federal. E como a maioria (ainda) acredita nos jornais, eleição após eleição, gente de bem realmente se afasta das eleições. Aí, folhosos cantânhes e barros e silvas podem se esbaldar e fingir que realmente se importam com a qualidade da representação política em São Paulo e no Brasil.

Anúncios

Um comentário sobre “As democráticas preocupações da Folha

  1. Ivson, concordo em gênero, número e grau.

Os comentários estão desativados.