Bombardeio esquisito

Esse fogo de barragem dos grandes jornais contra o BNDES, que vai para dois meses, está cada vez mais estranho. Não é em defesa das pequenas e médias empresas, porque elas sequer foram ouvidas a sério até hoje – e, pelo que se sabe, o banco tem emprestado muito a elas por meio do Cartão BNDES. Na verdade, até agora só quem foi ouvido batendo na política leva a cabo pelo banco é o setor financeiro. Será que os grandes jornais resolveram assumir-se de vez como porta-vozes do capital financeiro privado?

Anúncios

2 comentários sobre “Bombardeio esquisito

  1. Iv, a esse propósito, acho que vale a pena uma visita ao site da Plataforma BNDES (/www.plataformabndes.org.br/index.php/pt/analises-do-desenvolvimento) – articulação de organizações e movimentos sociais que monitora as políticas do banco, fazendo uma avaliação de sua atuação no contexto do modelo de desenvolvimento adotado atualmente. Como vc diz, importa ouvir e dar espaço a outras vozes a respeito da política do BNDES que têm um olhar crítico apurado sobre a questão. Formiga.

  2. Os jornais – notadamente o Estadão e, um pouco depois, o Globo – afirmam que o custo da capitalização do BNDES através do Tesouro é muito alto por causa da diferença da Selic pro custo do empréstimo do Banco. O engraçado é que: 1) os jornais repetem isso todo dia, quase sem novidade alguma; 2) ninguém avalia o que aconteceria se o BNDES não tivesse tomado as rédeas desse processo de financiamento a longo prazo no período agudo da crise.

    Justiça seja feita: o Estadão, um dia desses, ouviu algumas MPMEs, que alegaram ser muito difícil obter financiamento do BNDES.

    A propósito, as MPMEs respondem por 92% do total de operações do BNDES em 2010.

Os comentários estão desativados.