Grécia e Turquia: impressões de turista

Como você deve saber, eu e a patroa demos um rolê na Turquia e na Grécia mês passado. Da comparação entre os dois países, ficou-me a impressão de que, se tivesse que apostar em um dos dois para o futuro, botaria minha grana na Turquia.

Não que a Grécia não seja bacana. Atenas não é bonita, mas é agradável e organizada – uma espécie de Curitiba com acrópole – e a ilhas são ainda melhores: agradáveis, organizadas e belíssimas. Os gregos são belos, elegantes e – pelo menos até o mês passado – tranquilos (embora, quando discutem, o façam aos brados). Os turcos também são calmos, mas claramente mais pobres e as cidades também. No entanto, a Turquia, em seus cerca de 800 mil km², apresenta uma diversidade enorme, muito bem representada por Istambul e sua divisão entre Europa e Ásia. Esse fato e o orgulho que têm de sua terra (em qualquer lugar, mesmo em estrada ermas no interior, não se passam 10 minutos sem ver uma bandeira vermelha com o crescente e estrela  brancos) fizeram-me sentir uma energia latente muito maior do que a Grécia, país que me deu a impressão de não ter muito para onde ir, de estar estagnado.

Nos próximos anos, vamos ver se eu estava certo nas minhas avaliações de um turista proposital.