A vaca no brejo

Com os números do IVC em mãos fiz uma pequena comparação e cheguei a uma conclusão que já esperava, mas que ainda assim me deixou chocado: a vaca da grande imprensa brasileira está com a lama do brejo na altura das tetas. Peguei os três princiáis jornais do país – Folha, Estadão e Globo – comparei os números da circulação paga (assinaturas mais venda avulsa) de fevereiro de 2010 (último dado disponível) com os mesmos meses de 2009 e 2008. Os resultados foram esses:

Folha de S.Paulo
Fevereiro-09/Fevereiro-10: -6,62%
Fevereiro-08/Fevereiro-10: -12,81%

Estado de S.Paulo:
Fevereiro-09/Fevereiro-10: +2,85%
Fevereiro-08/Fevereiro-10: -12,95%

O Globo
Fevereiro-09/Fevereiro-10: -3,89%
Fevereiro-08/Fevereiro-10: -13,20%

Os percentuais são consistentemente alarmantes, como se vê. Vou continuar vigiando esses números e penso em ampliá-lo para a mídia regional. Talvez nessa última haja uma situação diferente, em especial no Nordeste, que deu um salto socioeconômico enorme. Também darei uma olhada nas edições digitais (cujas assinaturas são igualmente mensuradas pelo IVC). Depois disso, o quadro geral deve ficar mais claro, embora isso, muito possivelmente, não queira dizer que seja muito melhor para os veículos do que esse observado até agora.

2 comentários sobre “A vaca no brejo

  1. Esses números não existem via IVC, mas seria mais interessante ainda ver a circulação no público até 30 anos…

    • Verdade, Mosco. Creio que há estudos por aí sobre isso. Vou ver se descolo.

Os comentários estão desativados.