Dilma funga no cangote

A situação de Serra é complicada. Não li a pesquisa da Datafolha,  mas se ela estiver em linha com a última do Ibope, divulgada na semana anterior, e mostrar que o governador de São Paulo não consegue livrar vantagem significativa nem no grupo que, teoricamente, lhe é mais favorável (homens e mulheres, que ganham mais de 10 mínimos, possuem curso superior e moram em cidades com mais de 100 mil habitantes), a virada pode estar bem próxima – Dilma tem um amplo reservatório de votos nas camadas mais desfavorecidas da população, que será acessado assim que N-D surgir na TV informando oficialmente que ela é a sua candidata (a matéria do Globo de hoje sobre o assunto é um tanto exagerada, mas dá uma idéia da situação).

Serra vi subir ainda, quando for sagrado candidato oficialmente, pois terá generoso espaço na grande mídia. Deverá ganhar aí uns quatro ou cinco pontos. A questão é se essa subida vai com pensar o aumento nas intenções de voto para Dilma, que fatalmente ocorrerá também. Outro ponto é saber o que o tucano fará para neutralizar – ou pelo menos minimizar – a transferência de votos do N-D para as sua candidata entre os mais pobres.

Anúncios