Tentando ganhar no grito

Essa campanha do Globo “Nós e você já são dois gritando” é tacada para acertar duas bolas:

1. Reverter a queda de crebilidade sentida por todos os jornais. Escrevi, num post anterior, que pesquisa do Ibope apontara queda de seis pontos percentuais em 10 anos na credibilidade, mas estava errado – consultando Coleguinhas bem antigas, vi que a queda foi de nove pontos, de 69%, em 99, para 60% este ano. Todos os jornais sofreram com isso e O Globo está procurando reagir oferencendo-se para ser “parceiro” do leitor (a Folha reagiu de uma maneira um pouco diferente com aquela campanha em que dizia que era a mosca que azucrinava os poderosos, mas também pedia ajuda dos leitores, só que com assinaturas);
2. Segue aquele plano antigo de escantear o Poder Legislativo – que ajuda muito o projeto fazendo bobagens – e surgir como porta-voz da sociedade, procurando emparedar o Executivo, ganhando assim poder de fogo para obter benesses. A ideia é antiga, mas só virou plano depois daquele episódio em que o Carlos Lessa barrou a linha de crédito do BNDES que o N-D queria dar às empresas de comunicação, há uns cinco anos (quer dizer, barrar de todo, não barrou, mas os “barões” pretendiam R$ 10 bi e levaram “apenas” R$ 2 ou 2,5 bi, não lembro bem).

O problema com a campanha do Globo é que ela terá, necessariamente, tempo limitado por ser campanha de marketing e arrisca não ter nada de forte para apresentar depois, pois a internet tende a proporcionar mais calor do que luz durante os debates, quando gera alguma luz. No mais das vezes, é como diz o item dez das “10 razões pelas quais os sites de notícia são um saco”:

“10. Comment trolls and flamers
These guys are the bane of many sites’ existence (and not just news ones). Because of the sometimes controversial nature of whats being reported, people use news sites as a forum for their bitter, inflammatory, racist or insulting remarks. Frustrated site managers try to dissuade or delete said comments, but are mostly crying on the inside and clinging to the notion that everyone has the right to free speech.”

Enfim, diante o fato de que a credibilidade dos jornais está escorrendo pelo ralo, não dá mesmo para ficar parado. Eles precisam ao menos gritar.

Anúncios

Um comentário sobre “Tentando ganhar no grito

  1. Exatamente. Se a participação maior for de quem já costuma comentar as notícias do Globo, vamos ter apenas soluções reacionárias e conservadoras.

Os comentários estão desativados.