Jornalismo na prática: vão ter que aturar…

O PIB positivo de 1,9% entre abril e junho deixou o Nove-Dedos com a corda toda, como está na página 35 fo Globo de hoje:

Lula critica pânico gerado por manchetes de jornal

IPOJUCA (PE), SÃO PAULO e BRASÍLIA. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou ontem o crescimento de 1,9% do PIB do segundo trimestre. Ele afirmou que a economia brasileira está se recuperando e que a queda anterior – foram duas retrações consecutivas – deveu-se sobretudo àquela parte da sociedade que entrou em pânico “por acreditar mais nas manchetes dos jornais do que naquilo que a gente falava que ia acontecer no país”. Lula criticou os empresários que desativaram investimentos e deram férias coletivas aos seus empregados. E voltou a defender o Estado como indutor do desenvolvimento e administrador das crises. (…)

Também fez uma firma defesa do Estado:
– Houve um tempo nesse país em que se decidiu, copiando uma doutrina elaborada pelo Consenso de Washington, que o Estado brasileiro não tinha competência para nada. Precisou um deus-Estado (deus-mercado) quase quebrar a economia mundial em um piscar de olhos, para que as pessoas descobrissem que era o Estado que tinha a força, a confiança e o poder de recuperar a economia mundial. Não que o Estado tenha que ser o gerenciador ou o empresário. Mas ele tem que ser o regulador, porque só o Estado pode defender os interesses de toda a coletividade, de uma nação.

Mas, é claro, os jornais sempre fazem questão mostrar que são intimoratos quando é para mostrarem-se patéticos, como se pode ver na página 36 do principal jornal dos Marinho:

Analistas: Brasil não é 1º a deixar recessão
Japão, França, Portugal e Alemanha já registraram PIB positivo. China e Índia nem tiveram retração na economia

2 comentários sobre “Jornalismo na prática: vão ter que aturar…

  1. E, para completar a patetice, bota na boca de “analistas”.

    • É para manter a neutralidade, a imparcialidade e a objetividade, RC…

Os comentários estão desativados.